Mais

O caminho da glória 2001-02

04/28/2020
Tovar FC

author:

O caminho da glória 2001-02

SPORTING-FC Porto     1-0

1ª jornada

12 Agosto 2001

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro Lucílio Baptista (Setúbal)

Nélson; César Prates, Beto (cap.), André Cruz e Rui Jorge; Rui Bento e Paulo Bento; Sá Pinto (Quaresma, 22), João Pinto e Horvath (Hugo, 88); Niculae

Marcador 1-0, Niculae (69)

Indisciplina expulsão do portista Costinha (37, duplo amarelo)

Outros tempos: Bölöni fala aos jornalistas a uma terça-feira sobre o clássico de domingo. “O Sporting é uma mistura de Benfica e FC Porto.” Como assim, mister? “Os jornalistas passam o tempo a escrever que o Benfica é talento e o Porto é coração, nós somos um misto.” Começa o espectáculo e a primeira parte reserva-nos uma substituição para o Sporting (Sá Pinto lesionado, Quaresma entra) mais um vermelho por acumulação (Costinha ataca Horvath aos 18’ e JVP aos 37’). Aos 43’, JVP cabeceia uma bola no poste direito de Ovchinnikov. O caudal ofensivo do Sporting continua bem patente na segunda parte e o golo aparece naturalmente por Niculae, de cabeça, após serviço de JVP na esquerda.

Belenenses-SPORTING                3-0

2ª jornada

18 Agosto 2001

Estádio do Restelo, em Lisboa

Árbitro: Martins dos Santos (Porto)

Nélson; César Prates, Beto (cap.), André Cruz e Rui Jorge; Rui Bento (Tello, 63) e Paulo Bento; Quaresma (Spehar, 45) e Horvath; João Pinto e Niculae

Marcadores 1-0, Neca (17); 2-0, Marcão (31); 3-0, Neca (62)

Indisciplina expulsões do treinador belenense Marinho Peres (4, vermelho directo) e do avançado sportinguista Niculae (77, duplo amarelo)

Nota Marco Aurélio defende penálti de Niculae (3)

A febre de sábado à tarde no Restelo é forte, fortíssima. Lito Vidigal comete uma falta escusada sobre Niculae aos três minutos. Sorte a dele, Marco Aurélio está no caminho da bola e defende o penálti do mesmo Niculae com o peito. Ouchhhh, aquilo dói mesmo. Com o guarda-redes no chão a ser atendido pelo médico belenense, Martins dos Santos expulsa Marinho Peres por protestos. O treinador brasileiro vai ver o jogo desde a bancada, acompanhado pelos sócios. Que entram em estado de euforia com o 1-0 de Neca, num pontapé fora da área em que a bola sofre um desvio em André Cruz e trai Nélson sem apelo nem agravo. Antes do intervalo, Marcão faz o 2-0 de cabeça, completamente solto na pequena área, após cruzamento largo de Lito Vidigal. O 3-0 também é de cabeça, centro de Pedro Henriques e conclusão de Neca, a aproveitar uma escorregadela de André Cruz.

SPORTING-Alverca       0-1

3ª jornada

25 Agosto 2001

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro João Vilas Boas (Braga)

Nélson; César Prates, Beto (cap.), André Cruz e Rui Jorge; Paulo Bento; Horvath (Rui Bento, 57), João Pinto e Tello (Luís Filipe, 75); Spehar (Quaresma, 57) e Niculae

Marcador 0-1, Zarate (83)

Indisciplina expulsões dos sportinguistas João Pinto e Rui Jorge (directo e depois do jogo, no túnel de acesso aos balneários)

Spehar e Niculae é a dupla inédita de Bölöni para atacar a baliza do Alverca. Nem um nem outro deslumbram por aí além, embora pertença ao romeno o remate mais perigoso da primeira parte, aos 34 minutos, numa bola salva em cima da linha de golo por Tinaia. A segunda parte é mais mexida e começa com um erro de arbitragem na anulação do golo a JVP por fora de jogo inexistente, aos 56’. Segue-se um período de domínio intenso do Sporting, devidamente alicerçado pela defesa da tarde de Yannick a pontapé de Quaresma, aos 67’. Nos últimos minutos, só dá Alverca e a equipa treinada por Carlos Pereira consegue a vitória através do argentino Zarate, em recarga a uma defesa superior de Nélson a um remate de Anderson.


União Leiria-SPORTING             1-1

4ª jornada

8 Setembro 2001

Estádio Municipal Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria

Árbitro Pedro Proença (Lisboa)

Nélson; César Prates, Beto, André Cruz e Dimas; Luís Filipe (Quaresma, 82), Hugo (Paulo Bento, 72), Rui Bento e Pedro Barbosa (cap.); Niculae e Jardel

Marcadores 0-1, Jardel (46 gp); 1-1, Silas (63)

Indisciplina expulsão do leiriense Tiago (48, vermelho directo)

A oportunidade Jardel aparece assim do nada. O Marselha desinteressa-se pelo brasileiro e o empresário José Veiga intermedeia o negócio, a troco de 6 milhões de euros para o clube turco mais 20% do passe para o próprio Jardel. A estreia é em Leiria, onde mora uma equipa irreverente treinada por José Mourinho. Joga de caras, óbvio. E faz o 1-0 de penálti, a castigar falta de Éder sobre Luís Filipe. No quadradinho seguinte, Tiago é expulso e a União faz a força. Com dez, lança-se à baliza de Nélson e empata por Silas, num espectacular remate com o pé esquerdo do meio da rua. Nos últimos segundos, e contra a corrente do jogo, o Sporting quase faz o 2-1 por André Cruz, só que Luís Vouzela corta de cabeça em cima da linha.

SPORTING-Gil Vicente 3-1

5ª jornada

16 Setembro 2001

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro João Ferreira (Setúbal)

Nélson; César Prates, Beto (cap.), André Cruz e Rui Jorge; Rui Bento e Paulo Bento; Sá Pinto (Luís Filipe, 64) e João Pinto (Quaresma, 66); Jardel (Diogo, 73) e Niculae

Marcadores 1-0, Niculae (11); 2-0, Jardel (50 gp); 3-0, Niculae (59); 3-1, Lemos (90+2)

A meio da semana, o Sporting viaja até à Dinamarca para um compromisso europeu na Taça UEFA. Estamos a 11 Setembro 2001, o dia do atentado às torres gémeas em Nova Iorque. A UEFA adia o jogo para daí a 15 dias e o Sporting só volta para casa no dia 12. De avião, e não de comboio como se dá a entender nas primeiras horas do caos. Na jornada do fim-de-semana, o Gil Vicente de Luís Campos é uma presa fácil. Sá Pinto assiste Niculae para o 1-0 e Jardel tem um golo de cabeça anulado por falta sobre um adversário. Sem problema, o brasileiro encarrega-se do 2-0 na segunda parte, de penálti, a castigar falta de Paulo Jorge sobre Niculae. O 3-0 é novamente obra do romeno, num pontapé indefensável dentro da área. Cabe ao gilista Lemos o fixar do resultado, na sequência de um canto da esquerda.

Farense-SPORTING       1-3

6ª jornada

23 Setembro 2001

Estádio São Luís, em Faro

Árbitro Paulo Paraty (Porto)

Nélson; Quiroga, Beto (cap.), Babb e Rui Jorge; Sá Pinto (Luís Filipe, 87), Rui Bento, Paulo Bento e João Pinto (Hugo, 89); Niculae (Pedro Barbosa, 76) e Jardel

Marcadores 0-1, Jardel (5 gp); 1-1, Carlos Costa (31); 1-2, Jardel (88); 1-3, Jardel (90)

Pela primeira vez na época, Bölöni repete a equipa com o central Quiroga mascarado de lateral-direito: ao 3-0 na Dinamarca vs Midtylland, o 3-1 em Faro com hat-trick de Jardel. O primeiro golo da noite é de penálti, por falta de Iglésias sobre Niculae – o árbitro Paulo Paraty perdoa ainda duas grandes penalidades, uma para cada lado, e o fiscal-de-linha António Gonçalves assinala mal quatro foras-de-jogo ao Sporting. Nesse parêntesis, o incansável Carlos Costa empata o jogo no São Luís e o Sporting afunila sistematicamente o seu jogo. Só quando entra Pedro Barbosa para o lugar de Niculae é que o Sporting espevita e alarga o seu jogo. E dos pés do craque que nascem as aberturas para os cruzamentos de Paulo Bento, concluídos por Jardel com a mestria que se lhe reconhece.

SPORTING-Vitória SC   5-0

7ª jornada

1 Outubro 2001

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro Paulo Baptista (Portalegre)

Nélson; César Prates, Beto (cap.), Babb e Rui Jorge; Rui Bento e Paulo Bento (Hugo Viana, 68); Sá Pinto (Pedro Barbosa, 45) e João Pinto (Quaresma, 72); Jardel e Niculae

Marcadores 1-0, João Pinto (34); 2-0, Niculae (45); 3-0, Beto (56); 4-0, Jardel (69); 5-0, Jardel (74)

Indisciplina expulsão do sportinguista César Prates (86, duplo amarelo)

É o regresso a Alvalade do último treinador campeão nacional pelo Sporting. A equipa de Inácio joga bem e rápido, com Guga, Romeu e Nuno Assis em plano de evidência. Lá atrás, Palatsi resolve fazer uma série de defesas do arco da velha. Que o diga Niculae, impedido de gritar golo aos 8’ e 43’. Pelo meio (34’), JVP abre a contagem, servido por Jardel à entrada da área. Em cima do intervalo, Niculae desata finalmente o nó na garganta, com a parte exterior do pé esquerdo, assistido por JVP. A segunda parte é ainda mais movimentada: Beto amplia de livre directo, Hugo Viana cruza para o 4-0 de Jardel e o mesmo Jardel bisa, após jogada de combinação entre César Prates e Niculae.

Braga-SPORTING           2-1

8ª jornada

13 Outubro 2001

Estádio 1.º de Maio, em Braga

Árbitro Jacinto Paixão (Évora)

Tiago; Jorge Vidigal, Babb, Beto (cap.) e Rui Jorge; Sá Pinto (Luís Filipe, 77), Rui Bento (Hugo, 79), Paulo Bento e João Pinto; Jardel e Niculae (Pedro Barbosa, 62)

Marcadores 1-0, Ricardo Rocha (50); 1-1, Jardel (54); 2-1, Barroso (71 gp)

Indisciplina expulsão do sportinguista Rui Jorge (49, vermelho directo)

O banco de suplentes do Sporting reúne dois mestres: André Cruz e Pedro Barbosa. O treinador Bölöni tem de apostar num guarda-redes novo (Tiago), em detrimento da lesão de Nélson, e estreia Jorge Vidigal a lateral-direito. O Braga de Cajuda joga com alma e a verdade é que três dos quatro defesas do Sporting vêem amarelo na primeira parte. O único a safar-se é Rui Jorge, expulso com vermelho directo por palavras a um dos fiscais-de-linha. Na sequência desse canto, Ricardo Rocha salta mais alto que todos e faz o 1-0. A resposta do Sporting é imediata, cruzamento de JVP e cabeceamento de Jardel, 1-1. Sá Pinto obriga Quim à defesa da noite e, no outro lado, Tiago derruba Bakero. Penálti e amarelo. Na conversão, Barroso desata o nó do empate. Daí em diante, só dá Braga. Que vê Jacinto Paixão anular um golo a Barata por fora-de-jogo.

SPORTING-Santa Clara                0-0

9ª jornada

22 Outubro 2001

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro Bruno Paixão (Setúbal)

Tiago; César Prates, Beto (cap.), Babb e Hugo (Luís Filipe, 87); Rui Bento; Pedro Barbosa (Hugo Viana, 69), Sá Pinto e João Pinto (Quaresma, 76); Jardel e Niculae

Segunda-feira à noite, ressaca europeia (1:0 em Halmstad, golo de Niculae). Em Alvalade, só 10.138 pessoas. Na ausência de Rui Jorge (castigado) e Dimas (lesionado), a escolha para lateral-esquerdo recai em Hugo. O Santa Clara de Manuel Fernandes está impedido de utilizar os sportinguistas Hanuch mais Toñito e dá-se bem com o ferrolho defensivo alicerçado por cinco homens contra Jardel e Niculae. O Sporting sente dificuldades maiúsculas para incomodar Fernando e até é Tiago quem evita o golo mais provável, ainda na primeira parte, num lance ataboalhado com Sandro e, depois, George (42’). Muitos assobios para Bölöni, sobretudo na altura da substituição de Quaresma por JVP.

Paços Ferreira-SPORTING         0-6

10ª jornada

27 Outubro 2001

Estádio da Mata Real, em Paços Ferreira

Árbitro Mário Mendes (Coimbra)

Tiago; Hugo (César Prates, 49), Beto (cap.), Babb e Rui Jorge; Sá Pinto (Luís Filipe, 66), Rui Bento (Hugo Viana, 43), Paulo Bento e João Pinto; Niculae e Jardel

Marcadores 0-1, Beto (22); 0-2, Sá Pinto (30); 0-3, Jardel (43); 0-4, Jardel (44); 0-5, Niculae (53); 0-6, Niculae (60)

Mário e Marius. A dupla volta a funcionar às mil maravilhas. Mário Jardel marca dois, Marius Niculae outros dois. Até parece fácil, 3-0 ao intervalo, 6-0 no fim na Mata Real. Repetimo-nos, até parece fácil. Só que não. Os primeiros 20 minutos pertencem única e exclusivamente ao Paços, com Zè Manuel a obrigar Tiago a duas defesas apertadas. De repente, livre para o Sporting por falta sobre Niculae. Na marcação, Beto nem pede autorização. Tumba, lá para dentro. É o segundo do central como capitão de equipa em 2001-02, após aquele anotado ao Vitória SC. À meia-hora, Sá Pinto completa um cruzamento atrasado de Paulo Bento e depois é o festival Mário e Marius. Game, set, match.

Salgueiros-SPORTING  1-5

11ª jornada

5 Novembro 2001

Estádio Engenheiro Vidal Pinheiro, no Porto

Árbitro João Ferreira (Setúbal)

Tiago; André Cruz; César Prates, Beto, Babb e Rui Jorge; Niculae (Quaresma, 83), Paulo Bento, Pedro Barbosa (cap.) (Hugo Viana, 60) e João Pinto (Luís Filipe, 82); Jardel

Marcadores 0-1, João Pinto (3); 1-1, João Pedro (25); 1-2, Jardel (68); 1-3, Niculae (76); 1-4, Jardel (79 gp); 1-5, Quaresma (87)

Nota Tiago defende penálti de Nandinho

A movida do Sporting é agitada: 6-0 em Paços, 6-1 ao Halmstad em Alvalade e 5-1 em Vidal Pinheiro. A entrada é de leão, com livre de Paulo Bento e cabeceamento de JVP na saida em falso de Rui Correia. O Salgueiros joga sem medo em 3-5-2 e chega ao empate num sensacional pontapé de fora da área de João Pedro ao ângulo superior. O 1-1 mantém-se até aos 68 minutos, altura em que César Prates aproveita uma perda de bola de Rui Ferreira a meio-campo para isolar Jardel. O resto é história, entre um golo de Niculae, um mais de Jardel e a arrancada fenomenal de Quaresma – é o primeiro suplente a marcar pelo Sporting em 2001-02. Para fechar a noite, Tiago defende um penálti de Nandinho e impede a repetição do resultado entre as duas equipas no Vidal Pinheiro em 1990-91.

SPORTING-Boavista     2-0

12ª jornada

26 Novembro 2001

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro Isidoro Rodrigues (Viseu)

Tiago; César Prates, Beto (cap.), André Cruz, Babb e Rui Jorge (Quiroga, 86); Rui Bento e Hugo Viana (Hugo, 89); Niculae, Jardel e João Pinto (Pedro Barbosa, 82)

Marcadores 1-0, João Pinto (22); 2-0, Jardel (64 gp)

Indisciplina expulsões do treinador boavisteiro Jaime Pacheco (77), do sportinguista Beto (82, vermelho directo) e do boavisteiro Silva (82, vermelho directo)

O Boavista é o campeão em título. Facto. E o líder da 1.ª divisão. Facto. Bastam 90 minutos e um dos factos passa a ser uma falácia. O Boavista é o campeão em título. Facto. E o líder da 1.ª divisão. Mentira, agora é o FC Porto. Tudo porque o Sporting ganha por 2-0 com um golo em cada parte. Um de JVP (chapéu de cabeça a Ricardo) e outro do inevitável Jardel (de penálti, a castigar mão de Petit na sequência de um livre apontado por César Prates) num clássico mal apitado por Isidoro Rodrigues, mais nervoso que os 22 jogadores juntos. Mais o treinador Jaime Pacheco, o primeiro expulso da noite, antes de Beto e Silva, embrulhados numa discussão muito ruidosa.

Marítimo-SPORTING   0-2

13ª jornada

1 Dezembro 2001

Estádio dos Barreiros, no Funchal

Árbitro Paulo Baptista (Portalegre)

Tiago; Quiroga, André Cruz e Babb; César Prates (Quaresma, 83), Paulo Bento, Hugo Viana e Rui Jorge (cap.) (Dimas, 81); João Pinto (Pedro Barbosa, 68); Jardel e Niculae

Marcadores 0-1, Jardel (60 gp); 0-2, Pedro Barbosa (78)

Indisciplina expulsão do maritimista Kenedy (64, vermelho directo)

No Dia Mundial contra a Sida, a Liga promove o lançamento de 2500 balões antes do pontapé de saída. No Marítimo, a novidade é a estreia absoluta de um miúdo de 18 anos chamado Danny. No Sporting, é Quiroga quem ocupa a vaga deixada em aberto pelo capitão Beto, expulso na jornada anterior. Curiosamente (ou não), é Quiroga quem salva em cima da linha o golo certo de Briguel. Na segunda parte, é Briguel quem comete o penálti sobre JVP. Chamado a bater, Jardel engana Nélson. Poucos minutos depois, o maritimista Kenedy é expulso por chutos e pontapés à desgarrada dentro da área do Sporting. Entra então Pedro Barbosa e é seu o momento alto da noite nos Barreiros, com um golo dos dele: jogada pela esquerda até à linha de fundo, vem para dentro e remata sem ângulo, de forma surpreendente.

SPORTING-Varzim        4-0

14ª jornada

9 Dezembro 2001

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro Lucílio Baptista (Setúbal)

Tiago; Beto (cap.), André Cruz (Quiroga, 69) e Babb; Quaresma, Paulo Bento, Hugo Viana e Rui Jorge (Tello, 45); João Pinto (Pedro Barbosa, 45); Jardel e Niculae

Marcadores 1-0, Quaresma (1); 2-0, Jardel (19); 3-0, Jardel (28); 4-0, João Pinto (42)

Arredado da Taça UEFA a meio da semana pelo Milan de Rui Costa (1-1 em Alvalade, após 2-0 no Giuseppe Meazza), o Sporting recebe o Varzim com fome de bola. O resutado é implacável: 4-0 ao intervalo e liderança da 1.ª divisão, por conta dos deslizes de Benfica em Paços e Porto em Guimarães. No campo, Quaresma é o actor principal. E que actor. Marca o 1-0 (trivela do outro mundo, após perda de bola de Niculae) e assiste Jardel, Jardel mais JVP. É um festival, só visto. Na segunda parte, Jardel acerta duas bolas no poste e obriga Hilário a duas defesas heróicas na mesma jogada. No outro lado, Toni Vidigal acerta uma bola na trave de Tiago.

Benfica-SPORTING       2-2

15ª jornada

15 Dezembro 2001

Estádio da Luz, em Lisboa

Árbitro Duarte Gomes (Lisboa)

Tiago; Beto (cap.) (César Prates, 69), André Cruz e Babb; Quaresma, Paulo Bento, Hugo Viana (Pedro Barbosa, 56) e Rui Jorge (Tello, 69); Niculae e João Pinto; Jardel

Marcadores 1-0, Simão (11 gp); 2-0, Zahovic (55); 2-1, Jardel (85 gp); 2-2, Jardel (87)

Indisciplina expulsão do benfiquista Andrade (53, duplo amarelo)

Último dérbi de sempre na Luz, que começaria a ser desmontada a partir do dia seguinte. A moldura humana de 75 mil espectadores arregala os olhos para um jogo emotivo e também quezilento, a avaliar pelas 51 faltas, 12 cartões amarelos e um vermelho. O Benfica começa melhor, muito melhor. Marca de penálti, por Simão. E chega ao 2-0 por Zahovic, já a jogar com dez, por expulsão de Andrade. Acto contínuo, Bölöni faz entrar Barbosa e tudo muda. O Sporting assenhora-se do jogo e reduz num penálti faz-de-conta de Caneira sobre Jardel. O brasileiro, claro, não perdoa. E também seria ele a fazer o empate, de cabeça, aos 87 minutos. No último segundo, JVP tem o 2-3 nos pés, só que a bola raspa o poste de Enke.

SPORTING-Vitória FC   1-0

16ª jornada

22 Dezembro 2001

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro José Leirós (Porto)

Tiago; Beto (cap.), André Cruz, Babb e Rui Jorge (Tello, 75); Quaresma (Luís Filipe, 75), Paulo Bento, Hugo Viana (Pedro Barbosa, 60) e João Pinto; Jardel e Niculae

Marcador 1-0, Jardel (90+1)

Último jogo do ano 2001 em Alvalade para a 1.ª divisão. O Vitória de Jesus apresenta-se destemido e segura o nulo até ao intervalo. Aos 51 minutos, Marco Ferreira ultrapassa Tiago e falha inacreditavelmente o golo de baliza aberta. É um aviso e o Sporting só acorda para a vida aos 75 minutos, altura em que Bölöni faz duas substituições, com as entradas dos extremos Luís Filipe e Tello. A partir daí, o Vitória é encostado às cordas. Niculae acerta uma bola no poste (79’) e Bossio faz uma defesa hérculea a um cabeceamento de Jardel (85’). No primeiro de seis minutos de descontos, Jardel amortece uma bola no peito e, sem a deixar cair, atira para golo. É o delírio da massa associativa.

Beira-Mar-SPORTING  1-2

17ª jornada

5 Janeiro 2002

Estádio Mário Duarte, em Aveiro

Árbitro Emanuel Câmara (Madeira)

Tiago; Beto, André Cruz, Babb e Rui Jorge; Paulo Bento e Rui Bento (Hugo Viana, 79); Quaresma (Quiroga, 87), João Pinto e Pedro Barbosa (cap.) (Tello, 79); Jardel

Marcadores 0-1, André Cruz (30); 1-1, Juninho Petrolina (59); 1-2, André Cruz (80)

Em causa, o título de campeão da primeira volta. Se o Sporting ganhar em Aveiro, está no papo. O jogo é morno, sem grandes correrias junto das duas balizas. Quaresma troca-se mais a ele mesmo do que aos adversários, JVP é (bem) marcado em cima por Levato e Jardel está fora de jogo, por assim dizer – e até falha dois golos feitos, oferecidos pelo capitão Pedro Barbosa. Quem substitui o brasileiro na missão de salvador da pátria? Outro brasileiro. André Cruz, uma. André Cruz, duas. Arrematado. O central comete a proeza de dar os três pontos com dois livres directos perfeitos, ambos indefensáveis para o pobre Avelino. Pelo meio, Juninho Petrolina aproveita um erro de cálculo de Tiago para fazer o empate, na sequência de um canto.

FC Porto-SPORTING     2-2

18ª jornada

12 Janeiro 2002

Estádio das Antas, no Porto

Árbitro Martins dos Santos (Porto)

Tiago; Quiroga, Beto, André Cruz e Rui Jorge; Paulo Bento e Hugo Viana (Diogo, 85); Quaresma (Rui Bento, 60), João Pinto (César Prates, 77) e Pedro Barbosa (cap.); Jardel

Marcadores 1-0, Jorge Andrade (6 gp); 1-1, Pedro Barbosa (33); 1-2, Jardel (35 gp); 2-2, Deco (73)

Indisciplina expulsões dos sportinguistas Paulo Bento (58, duplo amarelo), Pedro Barbosa (75, duplo amarelo) e Jardel (84, duplo amarelo)

Nota Baía defende penálti de Jardel (10)

Grande grande grande clássico. Bem jogadio, de peito aberto, cheio de erros e emoção. Aos 6’, Martins dos Santos apita penálti um contacto entre Tiago e Pena. Dos 11 metros, Jorge Andrade abre o marcador. Aos 9’, JVP embrulha-se com Mário Silva e Baía. Impávido e sereno, Martins dos Santos aponta para a marca de grande penalidade. No regresso às Antas, onde é feliz quatro épocas a fio no século XX, Jardel bate e Baía defende. E agora? Chamem o Pedro. Claro, o Barbosa. Trica os olhos a Ricardo Carvalho e faz um arco perfeito, indefensável para Baía. Um-um. No quadradinho seguinte, terceiro penálti da noite: JVP tropeça em Ricardo Carvalho. Sem medo, Jardel volta a encarar Baía. O guarda-redes estica-se todo e quase quase quase toca na bola. Em vão, o Sporting dá a volta e Jardel assinala o 150.º golo na 1.ª divisão. Depois, perde o controlo emocional. Paulo Bento é expulso por bocas, Barbosa também por entrada horrível sobre Ricardo Carvalho e Jardel por pontapear uma bola depois do apito do árbitro. Pelo meio, Beto acerta no poste de Baía e Deco faz o 2-2. Grande grande grande clássico.

SPORTING-Belenenses                2-0

19ª jornada

20 Janeiro 2002

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro Carlos Xistra (Castelo Branco)

Tiago; Beto, André Cruz, Babb e Rui Jorge; Paulo Bento; Quaresma (Nalitzis, 85), Hugo Viana (Rui Bento, 66), João Pinto e Pedro Barbosa (cap.) (Tello, 79); Jardel

Marcadores 1-0, Jardel (28); 2-0, Jardel (82)

Indisciplina expulsão do belenense César Peixoto (68, duplo amarelo)

Início azarado de Pedro Barbosa com duas bolas ao poste de Marco Aurélio aos 4 e 19 minutos. Segue-se o festival JVP, autêntico quebra-cabeças para a defesa do Belenenses, na ressaca de uma semana atribulada ainda e sempre pelos penáltis duvidosos nas Antas. É dele a finta de corpo a tirar Franklim da jogada antes de cruzar com o pé esquerdo na linha de fundo para o cabeceamento certeiro de Jardel. Na segunda parte, César Peixoto é expulso com dois amarelos quase seguidos: simula um penálti aos 66’ e agarra JVP pelo pescoço no meio-campo aos 69’. Com mais um elemento, o Sporting controla ainda mais e faz o 2-0 final por Jardel (sempre ele), após lance destemido do recém-entrado Rui Bento. O cruzamento para a cabeça de Jardel é mais de meio golo. Nota para a estreia do grego Nalitzis, emprestado pelo Perugia no mercado de Inverno.

Alverca-SPORTING       1-3

20ª jornada

26 Janeiro 2002

Complexo Desportivo do Alverca, em Alverca

Árbitro Olegário Benquerença (Leiria)

Tiago; Beto, André Cruz, Babb e Rui Jorge; Paulo Bento e Hugo Viana (Tello, 87); Quaresma, João Pinto e Pedro Barbosa (cap.) (Rui Bento, 73); Jardel (Quiroga, 85)

Marcadores 0-1, Jardel (27); 0-2, Jardel (50); 1-2, Caju (56); 1-3, Jardel (80 gp)

Regresso a Alverca, um mês depois do 0-0 após prolongamento para a Taça de Portugal. Desta vez, o guarda-redes Yannick é um comum mortal e não evita uma vitória fácil, construída com um hat-trick de Jardel. O 1-0 nasce dos pés de Pedro Barbosa, cujo cruzamento apanha ainda Hugo Viana antes do amortie de cabeça de Jardel. O 2-0 já é na segunda parte, também de cabeça, após serviço de JVP na esquerda. Caju encurta distância, de cabeça, na sequência de uma entrada de rompante após centro de Pedro Neves. O 3-1 final é de penálti, a castigar falta inexistente de Peixe sobre JVP (há primeiro o toque na bola e só depois o inevitável choque de pernas).

SPORTING-U. Leiria      4-1

21ª jornada

2 Fevereiro 2002

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro: Bruno Paixão (Setúbal)

Tiago; Beto (Quiroga, 61), André Cruz, Babb e Rui Jorge; Quaresma, Paulo Bento (Rui Bento, 71), Hugo Viana e Pedro Barbosa (cap.) (Nalitzis, 61); João Pinto e Jardel

Marcadores 1-0, Jardel (21); 2-0, Quaresma (24); 3-0, Jardel (44 gp); 3-1, Silas (78); 4-1, Jardel (87)

Indisciplina expulsões dos leirienses João Manuel (43, duplo amarelo) e Éder Gaúcho (48, vermelho directo)

Goleada sem espinhas do Sporting, com 3-0 ao intervalo e mais um hat-trick de Jardel. O brasileiro faz o 1-0 de cabeça, após canto curto de André Cruz. Três minutos depois, Quaresma faz o golo da noite numa jogada individual desde o meio-campo. O remate certeiro ainda bate na barra e no poste antes de entrar espectacularmente na baliza. O mesmo Quaresma é rasteirado na área por João Manuel e do penálti resultam a expulsão do capitão leiriense por protestos mais o 3-0 de Jardel. Com nove, por expulsão de Éder Gaúcho, novamente por protestos, o União consegue reduzir num portentoso remate em jeito de Silas mesmo ao ângulo de Tiago. O 4-1 final é de Jardel, servido por JVP.

Gil Vicente-SPORTING 1-1

22ª jornada

10 Fevereiro 2002

Estádio Adelino Ribeiro Novo, em Barcelos

Árbitro Paulo Paraty (Porto)

Tiago; Beto, André Cruz, Babb e Rui Jorge; Paulo Bento; Quaresma (Nalitzis, 67), Hugo Viana e Pedro Barbosa (cap.) (Tello, 82); Jardel e João Pinto

Marcadores 0-1, Ivo (29 pb); 1-1, Paulo Alves (59)

Indisciplina expulsão do gilista Nuno Amaro (89, duplo amarelo)

Vítor Oliveira monta um quebra-cabeças para Bölöni com a dupla marcação de Ivo e Carlos sobre Jardel. É Carnaval, alguém leva a mal? O brasileiro pouco se vê em jogo e disso se ressente o Sporting. Até porque os artistas Barbosa, Quaresma e JVP entram apagados e saem sem se notar por aí além. A teia defensiva do Gil só comete um erro, no lance do golo. O remate do lateral-direito Beto toca inadvertidamente em Ivo e trai o guarda-redes. Excepção feita a esse lance, a baliza do Gil é um local imaculado. Já a do Sporting é incomodada bastas vezes, ora por Douala, ora pelo suplente Paulo Alves, autor do empate com um senhor cabeceamento. O Boavista ganha 1-0 em Leiria, golo do inevitável Martelinho, e recupera o primeiro lugar isolado, com um ponto à maior do Sporting.

SPORTING-Farense       1-0

23ª jornada

17 Fevereiro 2002

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro Lucílio Baptista (Setúbal)

Tiago; Beto (cap.), Babb, André Cruz (Quiroga, 45) e Rui Jorge; Rui Bento; Quaresma (Hugo, 64), Hugo Viana e Tello; Nalitzis e João Pinto (Luís Filipe, 76)

Marcador 1-0, João Pinto (35)

E esta, hein?! O Gil Vicente de Vítor Oliveira volta a fazer das suas e oferece a liderança ao Sporting, depois de empatar 0-0 no Bessa. Sem Jardel, operado à pubalgia em Munique durante a semana, nem Niculae, lesionado há um par de meses, é a altura de lançar Nalitzis a titular. O grego, marcado em cima por um novato chamado Bruno Alves (esse mesmo), acusa a pressão e faz uma série de disparates, entre controlos de bola inenarráveis e conclusões precipitadas. Vale-lhe um pentear na bola a isolar JVP no lance do golo solitário. Bölöini passa as passas do Algarve, ao fazer entrar Hugo e Luís Filipe para os lugares de Quaresma e JVP. É assobiado sem parar, até para lá do apito final do árbitro. Que garante, insistimos, o primeiro lugar.

Vitória SC-SPORTING   0-1

24ª jornada

22 Fevereiro 2002

Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães

Árbitro Bruno Paixão (Setúbal)

Tiago; Beto, Quiroga, Babb e Rui Jorge; Paulo Bento e Rui Bento; Pedro Barbosa (cap.) (César Prates, 72), João Pinto (Quaresma, 88) e Hugo Viana (Tello, 82); Jardel

Marcador 0-1, João Pinto (39)

Sexta-feira à noite, abertura da jornada em Guimarães. As duas equipas jogam xadrez em vez de futebol, cada espaço de terreno é intensa e entusiasticamente esmiuçado. Pela primeira vez nas últimas sete jornadas, Bölöni repete a dupla Bento no meio-campo, com Rui e Paulo. A sagacidade dio treinador romeno sai-lhe bem, os dois internacionais portugueses complementam-se e jogam de olhos de fechados. Já são mais treinadores em campo doi que propriamente jogadores: orientam companheiros, distribuem tarefas. Sem Jardel a mostrar serviço, é JVP quem garante a vitória com um golo solitário pela segunda semana consecutiva.

SPORTING-Braga           2-2

25ª jornada

2 Março 2002

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro Augusto Duarte (Braga)

Tiago; Beto, Quiroga, Babb e Rui Jorge; Paulo Bento e Hugo Viana (Tello, 74); Quaresma (Nalitzis, 61) (César Prates, 83), João Pinto e Pedro Barbosa (cap.); Jardel

Marcadores 1-0, Jardel (5 gp); 2-0, Jardel (6); 2-1, Ricardo Rocha (12); 2-2, Barata (42)

Ufffff, que jogo impressionante. Na primeira parte, quatro golos. Na segunda, duas bolas à trave na mesma jogada. O Sporting empata em casa no sábado à noite e deixa o Boavista com o primeiro lugar à sua mercê – acontece que o Vitória SC empata no Bessa e deixa tudo na mesma. Vamos ao jogo? Explosão de confetti antes do pontapé de saída e entrada de leão, mais uma. Aos quatro minutos, Artur Jorge mete mão à bola e é penálti, convertido por Jardel. Na jogada seguinte, bis de Jardel, assistido por JVP. O Braga reage com galhardia. Ricardo Rocha reduz de cabeça, após canto de Ricardo Nascimento, e Barata empata na ressaca de uma defesa incompleta de Tiago a um potente livre (pleonasmo) de Barroso. Aos 88’, dois-em-um: César Prates atira à trave e Rui Jorge imita-o.

Santa Clara-SPORTING               0-3

26ª jornada

10 Março 2002

Estádio de São Miguel, em Ponta Delgada

Árbitro Isidoro Rodrigues (Viseu)

Nélson; Beto, André Cruz, Babb e Rui Jorge; Pedro Barbosa (cap.) (Quiroga, 88), Rui Bento, Paulo Bento e Hugo Viana (César Prates, 58); João Pinto; Jardel

Marcadores 0-1, Jardel (72 gp); 0-2, Pedro Barbosa (79); 0-3, Paulo Bento (89)

O regresso de Nélson à baliza comemora-se nos Açores, onde o Sporting só consegue libertar-se do 0-0 aos 72 minutos, através de um penálti duvidoso de Telmo sobre César Prates. É o 31.º golo de Jardel na 1.ª divisão, com a receita de quase sempre: bola para um lado, guarda-redes (Jorge Silva) para o outro. A partir daí, o Santa Clara de Manuel Fernandes abre mais espaços e consente mais dois golos, ambos fora da área, ambos assistidos por JVP, um do capitão Pedro Barbosa e outro de Paulo Bento, este ao cair do pano. Feitas as contas, o Sporting já não perde há 21 jogos seguidos, todas as competições incluídas, desde o 2-0 vs Milan no Giuseppe Meazza.

SPORTING-Paços           3-0

27ª jornada

16 Março 2002

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro António Costa (Setúbal)

Nélson; Beto, André Cruz, Babb e Rui Jorge; Rui Bento e Paulo Bento (Quiroga, 54); Pedro Barbosa (cap.) (Quaresma, 35), João Pinto (César Prates, 76) e Hugo Viana; Jardel

Marcadores 1-0, Jardel (14); 2-0, Jardel (48); 3-0, Hugo Viana (73)

Continua a perseguição frenética pelo primeiro lugar. No Bessa, o Boavista recebe o Santa Clara às 1800. Uma hora depois, começa o Sporting-Paços. Quando o jogo arranca em Alvalade, já o Boavista ameaça a liderança isolada com o golo de Serginho Baiano. É Jardel (who else?) quem devolve a liderança isolada ao Sporting. Até ao intervalo, só mais uma notícia de rodapé: a lesão de Pedro Barbosa. É o segundo capitão sportinguista a lesionar-se, depois de Beto. Acaba o Boavista, 2-0. A uns quilómetros a sul, Jardel continua a fazer golos como nunca: 2-0 e assunto arrumado. Ao todo, 33 golos na 1.ª divisão, 45 na época. Que figura, chi-ça. A fechar o resultado, um toque de mestre do jovem Hugo Viana.

SPORTING-Salgueiros  2-0

28ª jornada

23 Março 2002

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro Olegário Benquerença (Leiria)

Nélson (cap.); Quiroga, André Cruz, Babb e Tello; Rui Bento; César Prates (Custódio, 84), Hugo Viana e Quaresma (Diogo, 62); João Pinto (Nalitzis, 78) e Jardel

Marcadores 1-0, João Pinto (19); 2-0, Quiroga (66)

Alerta, alerta: o Sporting ganha com dois golos e Jardel não marca. É notícia de primeira página, garantidamente. Pormenor, ambos os golos da vitória sobre o Salgueiros são de cabeça, um de JVP (serviço magistral de Quaresma) e outro de Quiroga (livre de Tello). O responsável pelo zero de Jardel é o guarda-redes Ivo, autor de três defesas dignas de registo a remates do brasileiro. Na última delas, a recarga de Tello leva selo de golo. Só que Nandinho salva na linha. No outro lado, o inédito capitão Nélson passa uma noite tranquila e Bölöni lança Custódio, o terceiro júnior a subir de escalão, após Quaresma e Hugo Viana. A uma semana do jogo do título, no Bessa, o Sporting mantém um ponto de vantagem sobre o Boavista.

Boavista-SPORTING     0-0

29ª jornada

30 Março 2002

Estádio do Bessa, no Porto

Árbitro José Pratas (Évora)

Nélson; Quiroga, André Cruz, Babb e Rui Jorge (cap.); César Prates, Rui Bento, Paulo Bento (Beto, 88) e Hugo Viana (Pedro Barbosa, 78); João Pinto; Jardel

Indisciplina expulsão do boavisteiro Paulo Turra (89, duplo amarelo)

Sporting 2000, Boavista 2001. Juntam-se no Bessa os últimos dois campeões nacionais e curiosamente os únicos candidatos ao título 2001-02, apenas separados por um ponto. Ainda sem os capitães Beto e Pedro Barbosa, a braçadeira voa para o lateral-esquerdo Rui Jorge. Na direita, Bölöni aposta na mesma dupla da jornada anterior, com Quiroga e César Prates. O clássico só arrebita na segunda parte. Primeiro o Sporting, por Jardel a cabecear à trave (51’). Depois o Boavista, em dose dupla, com Petit a falhar a emenda num chapéu de Mário Loja (77’) e Nélson a salvar para canto uma iniciativa do isolado Martelinho (79’). Nos descontos, Jardel cabeceia, de joelhos, ao poste. Habemus campeonato ate ao fim.

SPORTING-Marítimo   4-0

30ª jornada

7 Abril 2002

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro António Costa (Setúbal)

Nélson; Quiroga, André Cruz, Babb e Rui Jorge; Rui Bento e Paulo Bento (Quaresma, 77); Pedro Barbosa (cap.) (Beto, 80), João Pinto (Nalitzis, 85) e Hugo Viana; Jardel

Marcadores 1-0, João Pinto (20); 2-0, Jardel (25); 3-0, André Cruz (88); 4-0, Jardel (89 gp)

Indisciplina expulsão do maritimista Ezequias Melo (84, duplo amarelo)

Ponto prévio: o Marítimo de Nelo Vingada dá trabalho. Para a Taça de Portugal, elimina Boavista mais Benfica e obriga o Sporting a prolongamento em Alvalade. E agora? Bölöni recupera Pedro Barbosa a titular e é o capitão quem dá o primeiro sinal, com uma bola ao poste (12’). E mais uma, aos 18’. O vendaval ofensivo do Sporting encontra o golo por JVP, num lance bem trabalho por André Cruz na direita e prolongado por Rui Jorge na esquerda. O 2-0 vem a seguir, por Jardel, após bela incursão de Quiroga. No início da segunda parte, o brasileiro faz o 3-0, prontamente anulado pelo árbitro. O terceiro da noite é sim de André Cruz, de livre directo. Mágico, como sempre. Cabe a Jardel fechar a goleada, de penálti.

Varzim-SPORTING        1-3

31ª jornada

13 Abril 2002

Estádio do Varzim SC, na Póvoa de Varzim

Árbitro Duarte Gomes (Lisboa)

Nélson; Beto, André Cruz, Babb e Rui Jorge; Rui Bento e Paulo Bento; Pedro Barbosa (cap.) (Quaresma, 86), João Pinto (Nalitzis, 83) e Hugo Viana (César Prates, 79); Jardel

Marcadores 0-1, Jardel (29); 0-2, João Pinto (59); 0-3, Jardel (65 gp); 1-3, Gilmar (69)

Indisciplina expulsão do varzinista Toni Vidigal (77, duplo amarelo)

A notícia da véspera é animadora: 0-0 entre Marítimo e Boavista nos Barreiros. Se o Sporting ganhar na Póvoa de Varzim, a vantagem passa a ser de três pontos. A entrada é de rompante, como convém. O Varzim de José Alberto Costa encolhe-se e defende como pode. Aos 29 minutos, o capitão Pedro Barbosa liberta-se de Medeiros e serve Jardel para o 1-0. Até ao intervalo, Quim Berto tem o empate nos pés num livre indirecto dentro da área. Só que não, a bola sobe demasiado. Na segunda parte, o Sporting chega tranquilamente ao 3-0, obra de Jardel com assistência para JVP e golo de penálti, a castigar falta aérea de Toni Vidigal sobre si.

SPORTING-Benfica       1-1

32ª jornada

20 Abril 2002

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro Martins dos Santos (Porto)

Nélson; Beto, André Cruz, Babb e Rui Jorge; Rui Bento e Paulo Bento (Quaresma, 74); Pedro Barbosa (cap.) (Nalitzis, 79), João Pinto e Hugo Viana (César Prates, 57); Jardel

Marcadores 0-1, Jankauskas (73); 1-1, Jardel (90+5 gp)

Indisciplina expulsão do benfiquista Zahovic (90+4, vermelho directo)

Tudo se conjuga para uma noite de arromba em Alvalade. Tal como em 2000, o Sporting é campeão se ganhar o dérbi. Tal como em 2000, o Sporting desperdiça essa vantagem. A vitória do afilto Varzim no Bessa (2-1) apressa o sonho dos sportinguistas. O Benfica, em quarto lugar, joga pela honra. E consegue perturbar o jogo adversário, à conta de lances vistosos, a maioria deles construídos por Zahovic e Mantorras – aos 62’, o angolano acerta na trave de Nélson após trabalho notável sobre Babb. Seria do suplente Jankauskas o golpe de asa, de cabeça. O estádio silencia-se por momentos. A solução imediata de Bölöni é lançar Quaresma. Depois, Nalitzis. O Benfica controla, domina e cria: Nélson salva o 2-0 de Miguel, aos 77’. Seis minutos de descontos dá Martins dos Santos e Armando leva a mão à bola, aos 90’+1. É penálti. Zahovic é expulso por protestos, Argel só vê o amarelo. Imperturbável, Jardel faz o empate.

Vitória FC-SPORTING  2-2

33ª jornada

27 Abril 2002

Estádio do Bonfim, em Setúbal

Árbitro Vítor Pereira (Lisboa)

Nélson; Beto, André Cruz, Babb e Rui Jorge; Rui Bento (Nalitzis, 73) e Paulo Bento; Quaresma (César Prates, 57), João Pinto e Pedro Barbosa (cap.) (Tello, 86); Jardel

Marcadores 0-1, Jardel (31); 1-1, Sandro (39); 2-1, Hugo Henrique (41); 2-2, Jardel (49)

Se. Se o Sporting ganhar no Bonfim, solta o grito de campeão. Em vão, o Sporting convive mal no mundo dos ses. Jardel abre e fecha o marcador. Pelo meio, o Vitória faz dois golos em poucos menos de 200 segundos. Nos descontos, Jardel liberta César Prates. Por uma fracção de segundos, pensa-se no fim do campeonato. O brasileiro isola-se e atira por cima, na cara de Cândido. Acaba o jogo e continua a indefinição. Por mais 24 horas, até à hora do Benfica-Boavista. Na Luz, a coisa promete. Sánchez dá vantagem, 0-1 ao intervalo. Na segunda parte, Argel empata aos 54’ e Mantorras sela o definitivo 2-1 aos 81’, após escorregadela fatal do guarda-redes William. O Sporting é campeão, a uma jornada do fim. Cortesia Benfica. Quem diria?

SPORTING-Beira-Mar  2-1

34ª jornada

5 Maio 2002

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro Isidoro Rodrigues (Viseu)

Nélson; Quiroga, Beto, André Cruz e Tello (César Prates, 25); Diogo e Paulo Bento; Pedro Barbosa (cap.) (Nalitzis, 73), João Pinto e Hugo Viana (Quaresma, 54); Jardel

Marcadores 1-0, Jardel (29); 1-1, Fary (70 gp); 2-1, Jardel (88)

Em clima de ressaca pela conquista do titulo nacional na semana anterior, o Sporting entra em campo ligeiramente diferente do habitual, com Beto e André Cruz a centrais e Diogo no meio-campo em vez de Rui Bento. Seja qual for a táctica e os nomes, JVP e Jardel concentram novamente as atenções. A dupla fabrica o 1-0, com remate do brasileiro com o pé direito, após tirar um adversário do caminho com um amortie de bola com o peito. Fary ganha um pená.lti a Quiroga e transforma-o no empate. Seguem-se 20 minutos de nervosismo. Aos 88’, JVP cruza largo, Nuno Santos sai-se mal e Jardel encosta de cabeça para a baliza. Está feito o resultado, o Bota de Ouro Jardel iguala os 42 golos de Eusébio em 1967-68.

7 perguntas 7 respostas

Quais os dois jogadores com golos ao Sporting na 1.ª e 2.ª volta?

Silas (U. Leiria) + Ricardo Rocha (Braga)

Quem são os irmãos com penáltis cometidos a favor do Sporting?

Lito Vidigal (Belenenses) e Toni Vidigal (Varzim)

Único jogador do Sporting com tantos golos como bolas ao poste?

Pedro Barbosa, 3-3

Titulares à 1.ª jornada e sem qualquer minuto na segunda volta?

Sá Pinto e Horvath.

Única equipa a ganhar em Alvalade?

Alverca (que acaba o campeonato em último lugar)

Compra mais cara?

Jardel (Galatasaray) 6,20 M€

Venda mais cara?

Delfim (Marselha) 5M

EFICÁCIA

+ golos no total               Jardel 42

+ golos fora                       Jardel 21

+ golos em casa               Jardel 21

+ golos livre directo      André Cruz 3

+ golos como capitão   Beto + Barbosa 2

+ golos como suplente Quaresma + Barbosa 1

+ golos à 6.ª feira           JVP 1

+ golos ao sabado           Jardel 24

+ golos ao domingo       Jardel 13

+ golos à 2.ª feira           Jardel 5

INDISCIPLINA

+ cartões amarelos        Jardel 11

+ cartões vermelhos     Rui Jorge 2

Minutos em vantagem numérica 249

Minutos em desvatangem numérica 90

UTILIZAÇÃO

+ minutos em campo   JVP 2763

– minutos em campo     Custódio 6

+ jogos no banco            Diogo 18

+ suplente utilizado      Quaresma 14

À BALIZA

+ jogos sem sofrer         Tiago 9

+ golos sofridos              Tiago 18

+ cartões amarelos        Tiago 5

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *